8 comments on “Crítica – Resident Evil Damnation

  1. você só pode ser louco um fã boy gay de filme live action, seu merda você viu resident evil 5 o filme? foi uma merda você falou que a animação fica atrás daquilo veio da meia hora de cu!

    • Antes de mais nada, se tem algo que eu n sou, é fan boy, e sim, acho realmente que o damnation fica atrás do retribution, agora se vc n acha, isso dai é problema seu e da sua opinião. Se a idéia é fazer um filme e contar uma história dentro dele, o Damnation n se saiu bem se comparado com o degeneration, ou ainda com o live action. Se vc acha uma merda, por favor, demonstre com sua extensa sabedoria e vocabulário o pq de achar ruim, pq enqnto vc for um boçal que manda os outros darem o cu, a única coisa que eu farei será rir da sua imbecilidade, enqnto mando esse comentário pra uma porrada de gente rir junto. simples assim, take it lightely assface

  2. Uma coisa que sempre me deixa perplexo quando leio comentários de defensores dos filmes, é que
    o filme e o jogos são mídias a animação diferentes, universos diferentes; sendo assim o filme não tem qualquer
    compromisso com fidelidade ou coerência, digamos assim. É um filme que em tese você não precisa jogar
    o game pra entende-lo.

    Ok.

    Em dado momento do filme, a Red Queen ativa “las plagas”, em outro momento a persongem Rain injeta
    o parasita “las plagas”… O que é “las plagas”? Em quem momento do filme alguém explica o que são?
    “Ah, mas quem já jogou Resident Evil 4 sabe o que são.”
    Exato. Esse é meu ponto!

    Em vários momentos do filme fica claro que existe uma história entre Leon e Ada. Leon afirma que Ada
    não pode ter morrido, porque ela sempre tem um plano. Quem são Leon e Ada? Que história em
    comum eles têm?
    “Ah, mas quem jogou Resident Evil 2 e Resident Evil 4 sabe disso.”
    Exatamente!

    Em Resident Evil: Apocalipse, logo no começo do filme, mostra em recortes de jornais que Jill Valentine,
    uma exemplar ofical do STARS, foi afastada depois de um suposto incidente. Logo depois ela atira em
    um zumbi e diz:
    “Viu, eu disse que sabia lidar com essas criaturas. Tem que atirar na cabeça.”
    Fica evidente então, que ela tinha experiência sobre o assunto. Que experiência é essa? Por que ela foi
    afastada? Isso é explicado no jogo Resident Evil 3: Nemesis.

    O filme é realmente um universo independente e distinto dos jogos? Uma visão única de Paul Anderson?

    Então vamos tratar os filmes como se fossem baseados “fielmente” ao jogo.
    Estão lá todos os protagonistas dos jogos Chris, Claire, Leon e Jill.
    Estão os coadjuvantes “fan-favorite” Barry, Carlos, Ada e Nicholai.
    O grande vilão do filme é Albert Wesker, assim como no jogo.
    A corporação maligna por trás de tudo? a Umbrella lógico.
    Primeira cidade afetada pela infestação e sumariamente apagada do mapa para coibir
    a infestação e apagar provas? Racoon City.
    Vilões principais dos filmes:

    -Resident Evil, Licker. (resident evil 2)
    -Resident Evil: Apocalipse, Nemesis. (resident evil 3:Nemesis)
    -Residen Evil: Extiction, Tyrant. (resident evil)
    -Resident Evil: Afterlife, Executioner e Wesker super-poderoso. (resident evil 5)
    -Resident Evil: Retribution, Jill possuída. (resident evil 5)

    Levando em consideração as informações acima, é impossível negar uma ligação com os jogos, certo?

    Então por que diabos os membros do STARS, Jill, Barry, Chris e Wesker parecem não se conhecerem?
    Por que a importância deles é miníma ou nenhuma? Por que não existe um resquício de história acerca desses personagens?
    “Ah, mas esses elementos dos jogos foram incoporados na histórias dos filmes só para agradar os fãs”

    Primeiro lugar, quem é esse fã féla da puta que se sente “agradado” com tanto absurdo? Me dá o nome e o endereço desse camarada
    porque a gente precisa ter uma conversa séria…
    Em segundo lugar, a intenção não era manter a franquia afastada dos jogos e ter a liberdade de criar algo original?
    Vamos as originalidades:

    A mocinha Claire, acorda depois um longo período controlada mentalmente por um computador maligno.
    Por conta disso, sofre de amnésia, a ponto de não reconhecer seu própio irmão. Ah, maldita amnésia!
    Convenientemente, essa mesma amnésia a impede de lembrar o grande plot do filme, só se lembrando momentos antes
    do “grande ” desfecho.

    A mocinha Jill acorda depois de um longo período controlada mentalmente por um computador maligno.
    Por conta disso, sofre de amn… Não, na verdade ela acorda e logo se lembra de Alice, assim convenientemente lhe jogando a arma e salvar o dia.
    Sério? Sério mesmo?

    Alice conhece a Claire no deserto de Nevada e 18 meses depois a reencontra no Alaska, sentada esperando.
    Entao a leva para Los angeles (obviamente), onde Claire encontra quem? Logo quem? De todas as pessoas no mundo? Seu irmão, lógico!
    Santa coicidência Batman!!!
    Chris, por sua vez, enjaulado há uns bons 3 anos (levando em consideração que o filme diz que o vírus se espalhou pelo mundo em
    questão de meses, e ele estava em Los Angeles para ajudar a conter a população e foi preso na hora que o pânico tomou conta e o própio filme
    diz que se passaram 4 anos desde o inicio da infestação) quando reconhece sua irmã, depois de anos, depois do mundo ter ficado “um deserto
    árido” onde “todas as pessoas que conhecemos estão mortas”, qual é a sua reação?
    -Claire, sou seu irmão, você não se lembra de mim?!
    -Não.
    -Ok então… Vamos continuar o filme, que tem mais ação por aí.

    Leon o mocinho mor dos jogos trabalhando para Wesker, o vilão mor dos jogos, Alice indignada (assim como eu, você e nossas mães) pergunta:
    -Como você acabou trabalhando para o Wesker? (Álias, como o Wesker sobriviveu?)
    -Eu não “trabalho” para o Wesker… As coisas mudaram, o mundo mudou…
    -E você pode exclarecer melhor isso?
    -Não. Porque agora vem mais cenas de ação.

    Anos depois de se separar de Carlos (eles se conheceram em Racoon, inicio de infestação, o filme se passa 3 anos após a infestação, porque
    18 meses depois deste filme quando reencontra Claire, já se passaram 4 anos após o inicio da praga zumbi) em nenhum momento ocorre a
    Alice perguntar:
    -Carlos, onde esta a Jill? Onde está Angie, aquela menina que passamos o filme anterior inteiro procurando e que possui o anti-virus?
    -Não tenho tempo para responder. Tem mais ação vindo por aí.

    Primeiro encontro entre Alice e Ada:
    -Olá eu sou…
    -Ada Wong – interrompe Alice – Funciónaria da Umbrella, uma das melhores agentes de Albert Wesker.
    Agora não me pergunte como eu sei disso. Sério, não pergunte mesmo. O roteirista não tem tempo para explicar, tem muita
    cena em 3D para rodar. Onde nós estamos?
    -Em um mega-complexo-high-tech-subterrâneo-holográfico da Umbrella que simula várias cidades do mundo para testar o vírus.
    Sim, a Umbrella se deu esse trabalho, em trazer um monte de veiculos, casas e um helicóptero, apesar de não ter teto, para um complexo a
    milhares de metros de profundidade no meio do gelo. E toda vez que a gente destrói tudo com os testes, a gente recria tudo de novo. Igual minicraft.
    Mas lembre-se, é a mesma Corporação maligna que construiu um complexo a milhares de metros de profundidade no meio do deserto de
    Nevada, onde construiu uma réplica de seu outro complexo à milhares metros de profundidade, a Colméia, para testar milhares de clones seus.
    Sim, essa empresa é meticulosa e maligna desse jeito.
    Eu já lhe disse que reaproveitamos uma antiga base de submarinos russos-soviéticos? Sim, porque não importa se são alienigenas, zumbis,
    ou terroristas, a culpa é sempre dos russos.
    -Mas como arrumaram tantas pessoas pra utilizar nesses testes?
    -Clones.
    -Mas como pessoas que morreram nos filmes anteriores voltaram?
    -Clones.
    -Quem matou Odete Roitman?
    -Clones.
    -Ah, malditos clones! Mas se o Wesker, então presidente, não controla mais a Umbrella, quem está por trás disso?
    -Um super-computador-autosuficiente-maligno. Ele controla os clones, as pessoas, os monstros, as instalações e os satélites. Há boatos
    que ele também escreve o roteiro.
    -Ah vá!
    -Juro!

    Lógica da Alice:
    -Pegar todos seus clones, jogar num buraco em Tókio e explodir tudo as vaca.
    -Salvar uma menininha (Angie) de uma cidade infestada de zumbis, e depois sumir no mundo e foda-se a menina.
    -Achar uma cidade fábricada num complexo subterrêneo e ficar chocada (apesar de ter passado os últimos filmes em complexos subterrâneos).
    -Encontrar uma menina (igual a Angie) clone (igual aos milhares que já matou) e se apaixonar por ela.

    Você preencher os furos no roteiro com clones, amnésia, controle mental, super poder, maquinas que se voltam contra homens, esconderijos
    super secretos… É tipo Tele-curso 2000: Roteiro de filme.

    É muita preguiça, muita má vontade. É querer ganhar dinheiro fácil. É baixar as calças e mostrar a bunda para o público.
    É chamar a gente de idiota e a gente, como bons idiotas, aplaudir.

    Você pode até mencionar que é um filme bobo de ação só pra divertir, como Mercenários ou Transformers.
    Primeiro que Transformers foi baseado em um série de brinquedos e Mercenários foi um filme intencionalmente bobo, só pra agradar
    os fãs de atores de filmes de ação dos anos 80.
    Resident Evil é completamente diferente. É um franquia forte, com uma base sólida de fãs e que faz rios de dinheiro.
    É uma franquia que poderia ser The Dark Knight e se transformou em Batman e Robin.
    Só que ao invés de alguem lá trás parar e falar: “Gente, deu errado. Vamos parar e tentar mudar.”
    Não, só pensaram: “Quer saber, essa porra deu dinheiro… Vamos continuar fazendo e ganhar mais dinheiro, o povo não vai notar.”

    E quanto ao fato de dar bilheteria, isso não significa nada. Lanterna Verde também deu e inclusive era pra ser uma trilogia, mas pelo menos
    alguém la na Warner viu que não tinha futuro e enterraram. quanto ao meu vocabulário amigo, ele se detém em apenas isso, você é um merda desista de ser critico e no português claro seu viadinho,vai se foder dar meia hora de cu,e de bastante risada pois eu achei engraçado tbm kkkkkk

  3. Então sujeito que continuo a desconhecer o nome, eu vou ignorar todas as respostas que vc deu as suas próprias perguntas, até pra poder responder e dar continuação ao debate.

    Antes de mais nada, o filme e os jogos SÃO coisas distintas, e não adianta pegar explicações do game para o filme, pq quem gosta sabe do que está acontecendo ali! o filme tem que fazer sentido pra quem NÃO conhece a franquia e não pra quem sabe das histórias de cada personagem.

    Em nenhum momento eu afirmei que os filmes de RE perfeitos e não possuem falhas, claro que possuem e muitas delas pra facilitar as explicações que o roteiro arranja, agora isso não retira o mérito de que se analisar o filme como franquia ( excluindo 2 e 3 capítulos, que são sofríveis) ele faz sentido dentro de si!

    E falo isso pegando por exemplo minha namorada, que se sentiu menos perdida vendo os filmes do que as cg’s (que vc querendo ou não, são feitas para os fãs)! Eu não estou defendendo o universo dos filmes ou sequer atacando a timeline dos games/animações, estou simplesmente dizendo que se pegarmos o retribution e damnation, somente eles, e analisarmos como filmes, SOMENTE COMO FILMES, o retribution se sai melhor por apresentar uma história mais coesa e amarrada (amarrada com desculpas, se você preferir enxergar desta forma) para quem não tem intimidade alguma com Resident Evil!

    E ressalto que no universo proposto pelo anderson, alguns detalhes são mal explicados, mas se amarram na trama, por exemplo a parte do las plagas que você mencionou, salvo me engano, a ada diz que a umbrella nunca parou de aperfeiçoar o vírus, até chegar ao seu novo formato.

    Agora se você quiser discutir história, beleza. vamos discutir história. Sim, eu concordo com vc que o game (em que cada edição, tem pelo menos 6 horas de duração contra 1 hora e meia de cada filme, diga-se de passagem) apresenta maiores informações sobre tudo. Até por essas informações, muitas vezes aparecerem por forma de files, coisa que os filmes não tem como apresentar!
    Então basicamente, nesse ponto, os games levam vantagem e podem apresentar um leque maior de informação em relação aos filmes.

    Mas se pegarmos as duas animações. eles por acaso explicaram a las plagas? Explicaram os lickers? Tyrants? entendeu o que quero dizer?

    A análise que eu fiz de damnation o trata como filme, continuação de degeneration, e não como material extra da franquia de games!

    E mais uma vez, repare bem que não estou atacando nenhum dos defeitos que damnation possui, até pq n vejo pq fazer isso, até pq afinal de contas eu gostei da animação, estou apenas explicando meu ponto de vista ao fazer a crítica sobre a mesma. Agora sinto muito se MINHA opinião não foi compatível com a sua e não te agradou, até pq eu já esperava esse tipo de reação quando a escrevi, mas é isso, minha opinião, sua opinião, e o mais importante de tudo, que até foi o motivo pelo qual eu montei o site/blog, poder conversar com pessoas que discordam do que penso e enxergar um outro ponto de vista! O debate quando inteligente e feito de maneira adequada, sempre será bem vindo por aqui.

    E agradeço o elogio pelo site, espero que mesmo não concordando com o que escrevi, você continue acessando e comentando, quem sabe com seu nome de verdade, pra que eu não tenha que me referir a vc como vai se foder, ou senhor vai se foder, ou ainda de vai, ou sr foder e etc..

    PS:
    E quanto ao lanterna verde, que vc mesmo citou. Nada dali é igual às hqs. NADA. e digo isso pq leio as histórias do jordan desde que era pequeno, quando ele dividia a revista com o arqueiro até ele despirocar e virar paralax. E não, não gosto do filme, pois ele trata o espectador como imbecil e tem o Ryan Reynolds como protagonista.

  4. Rsrs engraçado,como existe supostos “fãn” que insistem em ressaltar que os live action são melhores que as animações,chega a ser patético,mas é compreensivel,afinal,quem aderi esse ponto de vista nao pode ser considerado fãn da série,Damnation não pode ter sido lá sensacional comparado ao Degeneration,porém no que diz respeito a essencia da franquia,os dois filmes cumprem muito bem seus papeis e dão de dez a zero nos filmes live action.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s